gold silver
mailing paying

Mailing livre
Português

home

O futuro do petróleo

pdf

05.05.2007
Há alguns anos, falei-vos de um possível aumento dos preços dos combustíveis, do lbs de urânio, do gás, hoje um pequeno balanço imponho-me. Para resumir a situação actual, as fontes de energia conheceram uma grande vaga de aumento seguidamente uma baixa *1.
A grande pergunta é saber como interpretar esta vaga de aumento e a sua correcção.
Existe duas abordagens :
- Vaga de aumento momentânea : com origens conjunturais (guerra, especulação…)
- Vaga de aumento definitiva : é uma primeira vaga de aumento que em anúncio muitos outro, uma mudança de tendência essencial com origens estruturais (PIC mundial de produção). Se explica-se esta vaga de aumento de uma maneira ou o outro aquilo não tem absolutamente as mesmas consequências para o investidor *2.

I. O aumento do preço do barril de petróleo, temporário ou definitivo?
A. Onde vai o preço do barril de petróleo?
O preço da energia é muito fortemente ligado ao do petróleo, e a onda contínua de informações levar-nos -ia a crer que o preço do barril de petróleo para origem das crises geopolítica e escuro hedge fund. Contudo, sempre houve guerras nos países produtores de petróleo (é malédiction dos países petroleiros) e o hedge fund é frequentemente a explicação fácil ao cada novo aumento do preço dos recursos naturais.
B. O tanque de hidrocarboneto esvazia-se.
A segunda solução para explicar esta vaga de aumento, é considerar-o como um sinal de mudança de tendência essencial à factor estrutural como a PIC de produção mundial de petróleo. Isto significa enquanto que 80 dólares não é um preço máximo para o barril de petróleo, mas a primeira vaga de aumento do preço do petróleo. As guerras e a especulação são as consequências, não a origem.
C.A PIC de produção.
A ideia de mudança de tendência sob entende finalmente a aceitação da abordagem da PIC de produção mundial de petróleo. Durante o século XX, quando o pedido mundial de petróleo aumentava, a produção adaptava-se e respondia às necessidades, não é mais possível hoje, pelo menos mais para muito tempo. Mantendo a produção de petróleo não pode mais satisfazer o pedido exponencial do crescimento económico mundial. Esta abordagem é julgada como hérétique pela maior parte dos economistas, que avançam frequentemente este argumento ligeiramente candide “a PIC de produção hoje, IMPOSSÍVEL, o aumento do preço do petróleo reporia em causa o crescimento mundial”…. O argumento seguinte é “os geologistas encontrará uma solução” sob entendidos a ciência resolverá o problema, mas aquilo é da competência mais incantation mystique que de qualquer realidade *3.

II. O aumento contínuo do preço do petróleo e as suas consequências.
A. Aumento do preço da energia.
Penso que cada indivíduo é capaz de aceitar uma quantidade máxima de mudança, além de certo limiar, o conjunto é recusado de só um bloco. Os meus primeiros assuntos sobre o preço do petróleo anunciavam um aumento do preço do barril à 48 dólares, 60 dólares, 80 dólares o barril de produto bruto. É igualmente hoje fácil anunciar uma próxima vago de aumento à 100, 110 dólares o barril, que estaria provavelmente prontos para aceitar. Mas se apoio-vos a hipótese da PIC de produção iminente, corre o risco provavelmente de crer que passei demasiado tempos ao sol sem chapéu. As perturbações que aquilo implica são demasiado importantes, e rejeitará provavelmente com, a ideia de um barril de petróleo à 100, 110 dólares.
B. Omundo altera.
Tenho de modo algum a esperança de convencer hoje com minhas algumas linhas. No entanto se segue regularmente a actualidade internacional, afastando as interpretações também surpreendentes que contraditórias, e guardam o essencial, encontrará todos os dias nas decisões dos grandes actores mundiais a confirmação deste cenário, e pouco a pouco esta hipótese parecer-vos -á possível. Excepto a Europa, que tem tanto clairvoyance energético que uma manada zébus atingidos de cegueira colectiva, todas as grandes potências actuais e emergentes têm uma estratégia energética evidente. A maior parte das decisões, que parecem incoerentes, toma qualquer seu sentido sob a luz dos recursos naturais.
C. As consequências.
As consequências são imensas e excedem os limites da nossa imaginação. O preço baixo do petróleo é ponto mais importante do desenvolvimento económico, e é a extensão destas consequências que torna este cenário difícil aceitar, mas que não entrega para tanto em causa a validade.

III. Um novo mundo.
A. Nova abordagem da energia.
Durante todo o século XX, é a economia que impôs as suas condições aos recursos naturais, para o século XXI, é a economia que vai ser obrigada se adaptar aos constrangimentos energéticos. O futuro, é o controlo da energia da produção ao consumo, produzimos e consumimos ainda hoje a energia de maneira arcaica. Os futuros bons investimentos serão os actores das suas mudanças na produção e o consumo de energia *4.
B. A corrida aos recursos.
O problema de amanhã para a economia *5 é o preço da energia (dominar o consumo) e preservar uma entrega regular e suficiente (garantir-se um abastecimento de petróleo mínimo e diversificar os seus recursos de energias). A guerra actual em redor da energia e os recursos, não tem mais unicamente por objecto assegurar-se dos preços baixos para a energia, mas também uma disponibilidade muito à longo prazo.
C. O investidor.
O fim da era do petróleo não caro, parece-me, tendência mais importante que deve seguir um investidor nos 10 próximos anos. Para as artes marciais, se o teu adversário é mais forte e que empurra-o você deve tirar, se tira-o você deve empurrar. Ninguém não pode mais alterar nada ao aumento do preço petróleo, o que conta é antecipar-o e seguir esta tendência. Se opôr parece-me ser um grave erro, a tendência é demasiado forte para opôr-se.
O desenvolvimento económico muito tempo tem ignorado o problema dos recursos geralmente. Mas o fim da era do petróleo à bom preço vai recordar brutalmente ao mundo que recursos abundantes não rimam com abundante.
Alguns dirão que, o carvão e as suas grandes reservas, é a solução, mas abordamos um segundo problema que vai adicionar-se ao dos recursos, é o das rejeições….
Somente um parecer, e permanece por conseguinte consumir com moderação.

Dr Thomas Chaize

*1 : Excepto o urânio, por razões que desenvolverei num outro assunto.
*2 : A imensa vantagem de escrever com a problemática económica investidores, é que estes abandonam mais facilmente os seus prejuízos para um pragmatismo que impõem-lhes a necessidade de resultados.
*3 : A ciência tem certamente soluções para atenuar os efeitos da PIC de produção diminuindo o consumo de energia, mas ela não tem para descobrir miraculeusement de notícias recursos. Pedimos hoje mais que é possível, nós recusa o mundo como é e pede às ciências ditas "frouxas" e "duras" construi-lo à imagem de único  gostaríamos de que sido e também não que é. Posso escrever estas linhas parce que o meu sítio é gratuito, que não pertenço à nenhum laboratório de investigação, se fosse o caso ele for muito provável que ser-me-ia auto censurado e que não teria nunca escrevo as suas linhas.
*4 : Se quer ler apenas uma linha deste artigo, é mais importante.
*5 : Indivíduos, empresa ou países.
05.05.2007

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

raw material
other
mailing free
dani2989 logo